outubro 7

Segunda edição de Limiar

Eis que a segunda edição de Limiar chegou e eu nem tive tempo de compartilhar mais essa conquista com os queridos leitores que acompanham meu trabalho. Peço desculpas e para me redimir, seguem abaixo fotos do lindo trabalho que a Editora Literata fez com meu livro.

Essas são a contracapa e a capa novas:

E essas são a primeira página do livro e à direita, uma mostra de como estão as primeiras páginas de cada capítulo:

A minha preferida, sem dúvida alguma é esta: A ilustração do itapevense Rodrigo Monteiro exatamente no meio do livro. Maravilhosa!

E na semana passada, também chegaram meus novos marcadores de página, seguem a frente e o verso pra vocês verem:

E aí, gostaram das novidades? Eu AMEI!

maio 19

Resenha: “A Elite” de Kiera Cass


Sinopse – A Elite – The Selection – Livro 02 – Kiera Cass

A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos.

America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz.
Resenha:

A série  A Seleção trata de uma distopia, ocorrida num futuro remoto, onde os Estados Unidos foram destroçados por guerras e crises econômicas intermináveis, e um novo país foi erigido por Gregório Iléa, cujo nome foi adotado também por esse nova nação, que passou a chamar-se Iléa e cuja população encontra-se dividida em castas e onde cada pessoa só pode desenvolver-se profissionalmente e casar-se, constituir família, de acordo com a casta à qual pertence. Para citar algumas, saiba que existe a casta Um, dos mais ricos, a Três, dos professores e escritores, a Cinco dos artistas e a Oito, que é a última, dos serviçais. America pertence à casta Cinco e está apaixonada por Aspen, que pertence à casta Seis quando é selecionada para concorrer ao coração do príncipe Maxon e à coroa de Iléa juntamente com mais 35 candidatas. Ao firmar uma bonita amizade com Maxon, ela sente seu coração ficar dividido entre Aspen e o príncipe, entre ser um pobre membro da casta Seis ou pertencer à casta Um, mas acima disso, ela sente uma ferrenha vontade de mudar o injusto sistema que classifica as pessoas conforme seu nascimento e não conforme suas aptidões, um sistema que não dá oportunidades nem perspectivas de melhora.
Não sei se foi o fato de ter lido A Elite enquanto ainda enfrentava uma forte ressaca literária por causa de Jogos Vorazes – cuja protagonista é uma garota forte, politizada, determinada, que não mede esforços para libertar seu povo – mas o fato é que não gostei do livro. Achei que a autora “se perdeu” enquanto escrevia este livro. America, que no primeiro livro – A Seleção (resenha aqui: http://elainevelasco.blogspot.com.br/2012/09/resenha-selecao-de-kiera-cass.html) – era uma jovem determinada, politizada, lutadora, em A Elite tornou-se uma garota fútil e vazia, preocupada apenas com o próprio umbigo e com o amor do príncipe. Para mim, a autora fugiu completamente da proposta do primeiro livro. O livro não traz surpresa alguma, ela não descobre nada novo com relação aos rebeldes que tentam invadir o palácio nem faz avanço algum em relação a ajudar seu povo a sair do sistema injusto no qual vive. Até mesmo Maxon, antes tão perfeito, revela-se um cafajeste egoísta e mimado. E Aspen, antes importante peça no triângulo amoroso, torna-se apenas um acessório, um “estepe”. Para mim, foi um livro que apenas “encheu lingüiça”, deixando todos os fatos importantes para o livro final, o que é um risco, pois a autora pode acabar deixando tudo muito “corrido”, mal explicado, mal trabalhado. Eu ganhei o primeiro livro da trilogia na edição do Fantasticon do ano passado, das mãos da editora da Seguinte, que lá estava por ocasião de uma palestra e confesso que ele foi uma grata surpresa, o que me levou a adquirir o segundo livro, porém, A Elite, ao menos para mim, deixou a desejar e muito. 
Elaine Velasco é autora da série Limiar e leitora voraz de literatura Young Adult, especialmente quando esses tratam de Literatura Fantástica. Para saber mais sobre ela, acesse: elainevelasco.blogspot.com.br
maio 16

Conto do Fantastiverso – Capítulo 2

Este conto é uma proposta do meu grupo literário Fantastiverso, afim de divulgar nosso trabalho e nossos livros. 

Sinopse: O anjo caído Samael está reunindo um exército composto de criaturas sobrenaturais. Os anjos tentarão impedi-lo. Mas descobrirão que o único sentimento mais forte que a vingança é o amor…
Nesse segundo capítulo, participam Samael (Limiar– Entre o céu e o inferno de minha autoria) e Ariel O Ceifeiro de Al Gomes), para quem não leu o primeiro capítulo, acesse: http://www.aartedeescrever.com/?p=167
Capítulo 2
Empoleirado sobre o teto do Masp, Samael observa a metrópole adormecida. Absorto em pensamentos, nem mesmo a tempestade que assola a cidade parece incomodá-lo. Apenas a chegada de um ser feito de pura energia, que aos poucos toma a forma de um homem com imensas asas é capaz de fazer com que ele mova a cabeça para a direita. Entretanto, ao constatar sua identidade, ele volta à sua apatia e sua posições iniciais, limitando-se a cumprimentar o visitante:
– Olá Ariel.
– Boa noite comandante.
– Não sou mais seu comandante há milênios, Ariel.
– Porém, jamais deixei de respeitá-lo Samael, por tudo que passamos juntos quando liderava o exército dos ceifeiros.
Samael soltou um suspiro entediado.
– Afinal, o que o traz até aqui velho amigo? Sei que não se trata de uma visita cordial.
– Sei o que está planejando Samael, e muitos de nossas hostes também o sabem. Vim pedir para que pare. É loucura, não vai dar certo.
– E que escolha tenho eu Ariel? Se nosso Pai me deu as costas e estou agora preso nessa guerra entre Ele e Lúcifer? Já sofri demais por não tomar partido.
– Sei que não é isso que o motiva. De verdade.
O silêncio imperou entre os dois por longos instantes, até que o antigo comandante o quebrou:
– Quem é você para me julgar Ariel? Bem sei que andas envolvido com aquela humana, aquela cuja alma deveria ceifar…
– Como sabes disso?
– As notícias correm, meu irmão. Toma cuidado.
– Não é o que estás pensando.
– Não? Já vi muitos anjos caírem Ariel, sei bem como tudo começa…
–  Acaso refere-se a Leuviah? Ele já vinha se corrompendo há muito tempo…
– Não fale desse maldito diante de mim! – dizendo isso, o anjo de asas cinzentas pôs-se em pé, punhos cerrados encarando o antigo companheiro.
– Acalme-se Samael, não vim reabrir velhas feridas. Só vim avisar-lhe.
– Pois então, fica também você com um aviso: Se continuares pelo caminho que estás trilhando, logo estarás ao meu lado, lutando contra as legiões de nosso Pai, logo serás mais um anjo caído.
Tomado de assombro pela severidade das palavras emitidas pelo antigo comandante, Ariel enrolou-se em suas asas e transformou-se numa imensa bola de energia que sumiu nos céus tão rapidamente quanto havia surgido.
maio 9

Conto do Fantastiverso

Olá amigos do blog!
Talvez não seja do conhecimento de todos que faço parte do grupo literário Fantastiverso, um grupo composto por 14 autores do gênero de Literatura Fantástica, unidos no intuito de difundir e divulgar esse gênero no Brasil. Para maiores informações, acesse: fantastiverso.blogspot.com.br.

Para 2014, estamos preparando uma antologia com um conto de cada um de nossos autores, afim de divulgar nosso trabalho. O livro será organizado por mim e publicado pela Editora Literata. Com vistas a este trabalho, também estamos escrevendo um “conto bônus”, escrito por 7 dos autores integrantes do grupo, envolvendo nossos 7 livros e seus personagens. É uma forma de divulgar não apenas nosso trabalho, mas também nossas obras e nossa futura antologia. Esse conto bônus será publicado em diversos blogs e sites, inclusive no A Arte de Escrever, semanalmente. Gostou da proposta? Então confere aí o primeiro capítulo dessa história fantástica que traz Samael, um personagem do meu livro Limiar e Diogo e os demais vampiros de seu covil do livro O Punhal da minha querida amiga Jéssica Anitelli.

Capítulo 1
Mesmo antes de abrir a porta, Diogo já podia sentir a enorme força que emanava da criatura atrás dela. Colocou a mão na maçaneta e a girou devagar, sem saber o que o esperava. Deparou-se com um homem alto, esguio, de cabelos negros e olhos azuis que o fitavam com interesse.
– Boa noite. Você deve ser o Diogo.
– Sim, eu mesmo. Desculpe, mas eu te conheço?
Abrindo um meio sorriso, ele se apresentou: – Creio que não. Meu nome é Samael. Quero falar com Augusto.
Se antes Diogo já estava com um péssimo pressentimento, isso apenas se agravou ao ouvir o estranho mencionar o seu nome e o de seu mestre. Eles nunca recebiam visitas, apenas dos humanos que os serviam, mas jamais de outras criaturas sobrenaturais, quanto mais uma daquela magnitude. Diogo não sabia exatamente o que aquele homem era, mas sabia que não era humano, nem vampiro, mas algo muito, muito mais poderoso. Ele que há pouco se acostumara com a existência de vampiros, jamais imaginou encontrar outra espécie ainda mais poderosa que a dele e isso o amedrontava.
– Não vai me convidar para entrar?
Diogo hesitou por um instante, perguntando-se se aquilo era sensato.
– Ora Diogo, se eu quisesse, já teria invadido a casa e destruído todos vocês, você sabe disso. Vim em missão de paz. – dizendo isso, o homem mexeu os ombros e duas enormes asas cinzentas surgiram em suas costas.
Aquela visão deixou Diogo completamente estarrecido.
Um anjo! – pensou consigo – Caraca, agora fudeu!
– Co-co-co-mo sabe o meu nome?
– Eu sei muitas coisas sobre você Diogo, coisas que nem mesmo você sabe. Conheci Henrique, de quem você herdou esses belos olhos verdes e conheci também os planos que ele teceu para você.
– O que?
Foram interrompidos por Samantha, que assomou à porta, querendo saber com quem Diogo conversava. Ao deparar-se com o anjo, pôs-se a analisá-lo por um instante, em seguida abriu um sorriso malicioso e o cumprimentou:
– Samael, há quanto tempo! Veio ver Augusto?
– Sim Samantha, poderia chamá-lo para mim?
– Claro, entre, por favor.
Diogo saiu da frente da porta, dando passagem para o estranho entrar. Agora estava ainda mais intrigado com a presença daquela estranha criatura na casa que ele dividia com outros 16 vampiros.
Quando o anjo chegou ao centro da sala, já estavam reunidos ali todos os companheiros de Diogo, exceto Augusto que agora surgia no alto da escada, precedido por Samantha.
– Samael, que bons ventos o trazem? – saudou o líder do grupo.
– Receio que não sejam bons os ventos que me trazem Augusto. – respondeu o anjo, com um ar pesaroso.
– Tenho ouvido rumores. Veio dizer-me que eles são verdadeiros?
– Receio que sim.
– Venha até meu escritório, lá poderemos conversar em particular.
O anjo atendeu ao convite de Augusto e o acompanhou até a porta que o outro indicava, enquanto 15 pares de olhos curiosos acompanhavam seus passos. Assim que a porta se fechou atrás deles, Diogo virou-se para Samantha e a cobriu de perguntas, que os demais acompanhavam interessados:
– Quem é ele Samantha? Ele é um anjo? Você o conhece? O que ele quer com o Augusto?
– O nome dele é Samael, como você já sabe. Ele é um anjo caído, antigo braço direito de Lúcifer, antes da Grande Queda. Poderia dizer que ele é o nosso “pai”.
– Pai?
– Sim. E quanto ao que ele quer com Augusto, creio que não gostaremos nem um pouco da resposta…