abril 17

Hush: A Morte Ouve

Hush: A Morte Ouve

A Morte Ouve

 

Sinopse:

Depois de perder sua audição quando adolescente, Maddie Young (Siegel) viveu uma vida de isolamento totalmente recuada em seu mundo silencioso. Porém, quando o rosto mascarado de um assassino psicótico aparece na janela de sua casa ela deve ultrapassar seus limites físicos e psicológicos para poder sobreviver uma noite.

 

 

Olá amigos do site A Arte de Escrever!

Hoje trago para vocês a resenha do filme Hush, traduzido no Brasil como A Morte Ouve.

imagesBem, só pelo título, sabemos que a tradução original de Hush, é algo que se aproxima de silêncio, e em minha opinião, o melhor humor de standup que conheço, é você ver um título original sendo adaptado para a versão em português.

Bem, deixando de lado a crítica ao título (fato comum em quase 90% dos títulos – isso porque estou sendo modesto), vamos a história.

Eu assisti o filme na netflix, e assumo diante de todos que o final é previsível, algo tipo branca de neve que cai no feitiço e no final aparece o príncipe encantado para beijá-la – isso recebe o nome de clichê, só que não estamos falando de um conto de fadas.

3a95a4b736a3055105277ad88f3a34a7ba039e7dColoque uma escritora surda-muda (sequelada de miningite desde os 13 anos de idade), morando no meio do mato – essa é outra questão que gostaria de entender, como uma pessoa com deficiência prefere o morar só e em um lugar isolado (meio do mato). Em hipótese alguma quero sequer insinuar que um deficiente é incapaz de viver isolado, mas me colando no lugar da protagonista, com deficiência auditiva e incapaz de falar, o último lugar em que eu iria querer morar era isolado no meio de uma floresta. Como eu iria pedir socorro, caso sofresse um acidente, algo simples do tipo escorregar e bater com a cabeça? O roteirista, até que tentou, dando a protagonista um celular e um laptop, colocando ela como uma pessoa super-conectada e recebendo algumas visitas HUSH-e1458439945727no decorrer do dia, mas não foi feliz. Outra questão, que achei um pouco redundante, foi se minha vida é uma eterna prisão silenciosa, qual o significado em eu querer ir morar no meio do mato a procura do silêncio? Porque sou uma escritora? Taí outro clichê. Para ser escritor não precisa morar no meio do mato e ser isolado. Há uma grande confusão em querer o silêncio para se escrever e ter que morar num lugar isolado. Eu já escrevi pelo menos 10 livros e não precisei em nenhum deles, ter que me isolar do mundo. Pelo contrário, escrevo a noite, quando a maioria da pessoas estão dormindo, na cidade de Belo Horizonte. Bem, voltando ao filme…

HUSH16REVFEATTirando as rotinas pacatas do dia a dia de Maddie, nossa protagonista, e isto inclui um acidente que dispara um alarme de incêndio – fiquem tranquilos, que ela percebe que o alarme disparou, através da vibração –, Maddie enfrenta seu pior pesadelo, quando um psicopata aparece na floresta – também não sei de onde ele veio, mas pelo que percebi ele adora caçar mulheres usando uma besta (o velho instrumento medieval que disparava flechas) – e mata a amiga de Maddie, que quase destrói a porta de vidro implorando por socorro; enquanto isso, Maddie aprisionada em seu silêncio, continua seus afazeres domésticos imperceptível a cena que acontece do lado de fora da porta de vidro da cozinha. Nesse momento vem a primeira e melhor parte do filme: A vítima do psicopata, com uma flecha enfiada nas costas, e abordada por trás pelo psicopata armado de uma faca, começa a esfaqueá-la não só uma vez, mas diversas vezes, sem tirar os olhos de Maddie, que continua com os afazeres.

Hush-620-02
O antagonista (psicopata) foi bem elaborado até certo ponto. Ele descobre que a protagonista é surda muda e chega a entrar na casa dela, até que a situação foge do controle e aí nasce meu maior incômodo com a história, que recebe o nome de “VIDRO”.

A casa da escritora, e cheia de imensas janelasFilmStill-93.0.0 e portas todas de vidro, só que no filme parecem que são de “titânio” transparente. Isso me deixou puto, pois grande parte do filme o psicopata fica preso do lado de fora – isso mesmo, trancado do lado de fora – separado por portas e janelas de vidro.
Aí surge a idiotice, pois se a mulher mora num lugar isolado, quem iria se incomodar com um a porta de vidro sendo quebrada, que resumiria o filme a meros quinze minutos?

Bem, tirando o vidro intransponível de início, se você se colocar no lugar da protagonista você irá conseguir absorver um suspense primoroso.

Com certeza o custo da produção foi acessível a qualquer orçamento, pois a história toda acontece numa casa isolada no meio do mato.

 

Título Original: Hush

Ano de Produção: 2016

Dirigido Por: Mike Flanagan

Gênero: Horror Americano

Nota: 3/5

Netflix

Category: Filmes | LEAVE A COMMENT