novembro 27

Experiência

Olá Amigos do blog!

Hoje venho aqui para compartilhar um pouco mais da experiência do Caminho de Santiago Editorial.

Para quem vem acompanhando os últimos posts, estão sabendo que estou a procura de uma boa editora. Confesso que já tive propostas interessantes de editoras de pequeno porte.

 Juro que não tenho nada contra essas editoras — cada um ganha seu pão como lhe aprouver—, mas desta vez, quem me conhece sabe que estou à procura de uma editora com boa distribuição,  com custo zero para publicação e acima de tudo, procuro um editor parceiro.

Publicar é fácil. Qualquer um pode ter seu livro impresso ou convertido em e-book.  Agora ver seu livro bem distribuído nas livrarias é outros quinhentos, ainda mais no Brasil, onde a maioria das editoras valorizam autores internacionais, por razões exaustivamente já discutidas nesse blog.

O fato é que essa espera — para muitos, insuportável — mudou muito minha forma de pensar. Tornou-me mais paciente, presenteou-me com a oportunidade para ler novos livros e acima de tudo, mudou meu gênero literário de escrita — Fiquem tranquilos que ainda continuo com suspense, porém entrando fortemente no gênero de terror —, mas não terror espirra sangue pra todo lado, mas sim, um terror inteligente, dedutivo e carregado de suspense.

O motivo desta mudança foi que percebi que meus leitores ficaram apaixonados com o livro Faces de um Anjo, e nele, diga-se de passagem, havia algumas cenas ensanguentadas.

Tenho aproveitado essa espera de resposta de boas editoras, para trabalhar em dois livros ao mesmo tempo e isso tem me consumido algumas horas de meu já escasso tempo e desfocado a preocupação e ansiedade de resposta por parte das editoras.


A minha grande preocupação, vendo o lado clínico da situação — e isso não consigo cegar esse olhar médico—, é o conflito envolvido nessas “avaliações de originais”, sobre o lado psicológico de cada autor que submete um original para “avaliação”. O tempo e a recusa, pode feri-lo gravemente e as vezes transformar um autor — Dr. Jekill— num Mr. Hide.

Então meu conselho aos autores iniciantes é que enviem seus originais para editoras e esqueçam. Preocupe-se em escrever outros livros e lhes asseguro que quando menos esperaram, seu celular irá tocar ou haverá um e-mail solicitando seu contato para assinar o contrato de publicação. Se isso não acontecer, envie o livro que está escrevendo e assim sucessivamente.

A mensagem de hoje é:

“Não desistam de seus sonhos. E lógico que quanto maior o sonho, mais longo o caminho, porém jamais inatingível.”

Um forte abraço a todos!


Copyright 2019. All rights reserved.

Posted 27 de novembro de 2013 by Hermes Lourenço in category "Dicas Sobre A Escrita

2 COMMENTS :

  1. By jeisamarjorie on

    Escrevi eu primeiro livro e li mesmo que os agentes literários e editoras comerciais no Brasil só se interessam por famosos de bvest-sellers e nem olham para as obras dos principiantes e por isso vou aproveitar que moro aqui nos EUA ha 14 anos e buscar uma
    americana filha de brasileiros que possa me traduzir e publicar a partir daqui, principalmente que o pessoal daqui adora ler, diferente do pessoal do Brasil. Se tiver alguma idéia ou querer que te passo as informaçcxóes depois é só me falar. Praticamente todos osl ivros daqui são imprimidos na China ou outros países vizinhos de lá. Sáo livres de ácidos e custam uma mixaria. E em qualquer idioma viu? Sei disso porque vendi uns 150 livros e tive que classificá-los e dei ocnta que são imprimidos por lá. Um abraço

    Reply
    1. By Hermes M. Lourenco on

      Olá Jeisa, tudo bem. Jeisa, tenho interesse sim em publicar por alguma editora americana, inclusive já tenho um de meus livros traduzidos em inglês. Se puder me ajudar, ficarei eternamente agradecido. Meu email: hmsfenix@gmail.com

      Reply

Deixe uma resposta para Hermes M. Lourenco Cancelar resposta