maio 9

Conto do Fantastiverso

Olá amigos do blog!
Talvez não seja do conhecimento de todos que faço parte do grupo literário Fantastiverso, um grupo composto por 14 autores do gênero de Literatura Fantástica, unidos no intuito de difundir e divulgar esse gênero no Brasil. Para maiores informações, acesse: fantastiverso.blogspot.com.br.

Para 2014, estamos preparando uma antologia com um conto de cada um de nossos autores, afim de divulgar nosso trabalho. O livro será organizado por mim e publicado pela Editora Literata. Com vistas a este trabalho, também estamos escrevendo um “conto bônus”, escrito por 7 dos autores integrantes do grupo, envolvendo nossos 7 livros e seus personagens. É uma forma de divulgar não apenas nosso trabalho, mas também nossas obras e nossa futura antologia. Esse conto bônus será publicado em diversos blogs e sites, inclusive no A Arte de Escrever, semanalmente. Gostou da proposta? Então confere aí o primeiro capítulo dessa história fantástica que traz Samael, um personagem do meu livro Limiar e Diogo e os demais vampiros de seu covil do livro O Punhal da minha querida amiga Jéssica Anitelli.

Capítulo 1
Mesmo antes de abrir a porta, Diogo já podia sentir a enorme força que emanava da criatura atrás dela. Colocou a mão na maçaneta e a girou devagar, sem saber o que o esperava. Deparou-se com um homem alto, esguio, de cabelos negros e olhos azuis que o fitavam com interesse.
– Boa noite. Você deve ser o Diogo.
– Sim, eu mesmo. Desculpe, mas eu te conheço?
Abrindo um meio sorriso, ele se apresentou: – Creio que não. Meu nome é Samael. Quero falar com Augusto.
Se antes Diogo já estava com um péssimo pressentimento, isso apenas se agravou ao ouvir o estranho mencionar o seu nome e o de seu mestre. Eles nunca recebiam visitas, apenas dos humanos que os serviam, mas jamais de outras criaturas sobrenaturais, quanto mais uma daquela magnitude. Diogo não sabia exatamente o que aquele homem era, mas sabia que não era humano, nem vampiro, mas algo muito, muito mais poderoso. Ele que há pouco se acostumara com a existência de vampiros, jamais imaginou encontrar outra espécie ainda mais poderosa que a dele e isso o amedrontava.
– Não vai me convidar para entrar?
Diogo hesitou por um instante, perguntando-se se aquilo era sensato.
– Ora Diogo, se eu quisesse, já teria invadido a casa e destruído todos vocês, você sabe disso. Vim em missão de paz. – dizendo isso, o homem mexeu os ombros e duas enormes asas cinzentas surgiram em suas costas.
Aquela visão deixou Diogo completamente estarrecido.
Um anjo! – pensou consigo – Caraca, agora fudeu!
– Co-co-co-mo sabe o meu nome?
– Eu sei muitas coisas sobre você Diogo, coisas que nem mesmo você sabe. Conheci Henrique, de quem você herdou esses belos olhos verdes e conheci também os planos que ele teceu para você.
– O que?
Foram interrompidos por Samantha, que assomou à porta, querendo saber com quem Diogo conversava. Ao deparar-se com o anjo, pôs-se a analisá-lo por um instante, em seguida abriu um sorriso malicioso e o cumprimentou:
– Samael, há quanto tempo! Veio ver Augusto?
– Sim Samantha, poderia chamá-lo para mim?
– Claro, entre, por favor.
Diogo saiu da frente da porta, dando passagem para o estranho entrar. Agora estava ainda mais intrigado com a presença daquela estranha criatura na casa que ele dividia com outros 16 vampiros.
Quando o anjo chegou ao centro da sala, já estavam reunidos ali todos os companheiros de Diogo, exceto Augusto que agora surgia no alto da escada, precedido por Samantha.
– Samael, que bons ventos o trazem? – saudou o líder do grupo.
– Receio que não sejam bons os ventos que me trazem Augusto. – respondeu o anjo, com um ar pesaroso.
– Tenho ouvido rumores. Veio dizer-me que eles são verdadeiros?
– Receio que sim.
– Venha até meu escritório, lá poderemos conversar em particular.
O anjo atendeu ao convite de Augusto e o acompanhou até a porta que o outro indicava, enquanto 15 pares de olhos curiosos acompanhavam seus passos. Assim que a porta se fechou atrás deles, Diogo virou-se para Samantha e a cobriu de perguntas, que os demais acompanhavam interessados:
– Quem é ele Samantha? Ele é um anjo? Você o conhece? O que ele quer com o Augusto?
– O nome dele é Samael, como você já sabe. Ele é um anjo caído, antigo braço direito de Lúcifer, antes da Grande Queda. Poderia dizer que ele é o nosso “pai”.
– Pai?
– Sim. E quanto ao que ele quer com Augusto, creio que não gostaremos nem um pouco da resposta…