outubro 5

Facebook: Pílula Azul ou Vermelha… curtiu?


Facebook:   Pílula Azul ou Vermelha… curtiu?
Olá amigos do blog. Hoje termina minha abstinência de 7 dias do Facebook e decidi então “compartilhar” minha experiência com vocês.
Em verdade lhe digo que não foi nada fácil ficar longe do facebook por uma semana. Cada minuto parecia uma eternidade, ainda mais quando você carrega um celular com conexão ilimitada com a internet em tempo integral.
Bem, tudo começou quando um “amigo” me viu usando um simples Orkut, na qual eu tinha o costume de usar apenas uma vez por semana.  Com um olhar de repúdio ele me disse:
_ Que isso cara? Você esta por fora. Você tem que experimentar algo mais forte! A onda agora é o facebook!
Ainda meio sem compreender o que seria o tal  facebook, resolvi experimentar.
Após o cadastro, achei a tela azul meio complicada e totalmente diferente do que estava acostumado com o Orkut.
Passei alguns dias tentando compreender o funcionamento dessa nova rede social, fui me aventurando cada vez mais e descobrindo um mundo virtual com vários amigos presos dentro dele.
Foi então que percebi que eu não conseguia mais parar de usar.
Acessava o facebook inúmeras vezes ao dia. Até mesmo uma simples ida ao banheiro era o momento perfeito para visitar minha página.
Isso era apenas o princípio. O que era um simples vício,  tornou  uma obsessão. Na cozinha, um inocente cafezinho, tornava-se em uma curtida, um compartilhamento…
Tudo foi se agravando… Pessoas conversavam comigo e eu tinha olhos apenas para o celular, pois havia instalado o aplicativo “F”.
Então tudo foi piorando… Um dia em meu trabalho, enquanto “curtíamos” um cafezinho, eu percebi que “todos” meus amigos estavam contaminados e olhavam para o celular enquanto navegavam nas paginas “face”.
Aí o pior aconteceu. Um de meus chefes –  não vou citar qual por razões obvias – criou uma conta no facebook para fiscalizar os funcionários “trabalhando”. Foi nesse momento que decidi que tinha de virar “chefe”, e obter o poder ilimitado, e ter a tela aberta  Facebook, em tempo integral.
Porém em meio a isso tudo, minha irmã – que mora no Canadá -, veio me visitar. Foi então que ela me questionou que não me encontrava mais no Skype, e após segundos de observação veio com a frase: “Agora sei onde te encontrar”. Você só vive no facebook!”
Foi então que  percebi que  eu precisava de ajuda…
Estava completamente viciado e dependente de consultar os aplicativos, ver pedidos de amizades e compartilhar inúmeras mensagens pré-fabricadas. A rede mundial de dados – World Wide Web -, apenas tinha um único direcionamento: Uma rede social azul.
Então recebi a visita do oráculo de minha consciência e ela me “cutucou” oferecendo duas pílulas: uma azul e outra vermelha.
A Azul, eu ficaria horas preso no mundo das curtidas, compartilhamentos, comentários, cityville, etc…
Já a vermelha, o caminho seria árduo. Eu seria perseguido por diversos escravos da Matrix Azul, porém meus olhos estariam aptos apenas para enxergar a verdade. Mas isso teria um preço.
Optei então pela pílula vermelha. A engoli a seco, parecia intragável a ideia de ter que ficar 7 dias sem clicar na Matrix azul.
Nos  primeiros dias, fui perseguido por agentes… “Hermes, você não entra mais no facebook? Estamos lhe mandando mensagens e você não responde!”. Até minha esposa agressivamente pelo Skype: “Te enviei um monte de mensagens e você não responde? Por onde você anda?” A perseguição não parava por aí! Quando abria minha caixa postal do outlook, lá tinha novamente diversos e-mails: Fulano de tal mencionou você em um comentário;  Ciclano marcou você em uma publicação; Você foi marcado em uma foto; veja sua atualização semanal de página, você ganhou um brinde em Cityville…etc.
Não foi fácil lutar contra minha consciência e contra minha vontade, mas eu estava determinado.
Porém o pior dia foi quando eu fui abrir meu navegador e acidentalmente apareceu a página Azul… Onde no segundo dia de abstinência eu vi “acidentalmente” que tinha 8 solicitações de amizade e 98 notificações, 34 mensagens e 12 cutucadas.
Imediatamente desliguei meu computador e decidi “navegar” nas páginas de um livro de mitologia primitiva.
Para minha surpresa, descobri que nosso instinto mais primitivo basicamente nada mais é do que viver em sociedade, o amor, cuidado e ser notado. Nesse momento me dei conta que nós somos os verdadeiros criadores dessa Matrix azul, onde buscamos uma forma de suprir esta abstinência que a sociedade nos impõe. Então o papel da “rede social” nada mais seria do que aproximar friamente as pessoas que vivem se distanciando em uma época em que se escrever uma carta tornou-se obsoleto.
Hoje encerro meus 7 dias de abstinência da Matrix azul. Para comemorar, decidi no final do dia reunir meus amigos em uma pizzaria, pois nesse momento terei a certeza de que estarei os afastando por um curto período de tempo do mundo virtual e os trazendo a plena realidade.
Depois é só chegar em casa, marcar a galera, compartilhar as fotos e acompanhar os comentários.
Gostou do texto? Curta e compartilhe!
Hermes M. Lourenço é médico e escritor.
Autor dos livros: A Conspiração Vermelha,  Faces de um Anjo; O Enigma do Fogo Sagrado.
http://www.hermesmlourenco.com.br
blog: http://hmsfenix.blogspot.com
book trailers:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=wyqSUJta8E8
http://www.youtube.com/watch?v=5vHhWFV38_0
http://www.youtube.com/watch?v=ysj3DRg5cbc
email: hmsfenix@gmail.com